12 de ago de 2010

High Defenition


Não sabe o que é? Pesquise no Google. Comprou um tênis novo, tuite. Ou você é de um grupinho ou está pra lá de deslocado. Ou eu me apaixono desesperadamente por vampiros, ou estou fora da modinha da vez. Que aliás já está sendo passada para trás. A nossa geraçãotroca de hábitos como troca de roupas. E por esse motivo vivemos uma revolução silenciosa, onde as armas são os iPods e nosso quartel é a internet. Sinceramnete não sei a onde vamos chegar. Uma geração tão dependente de coisas que sequer existiam a uma decáda atrás. Ou você da nova geração consegueria ficar sem atualizar seu orkut, escrever no seu blog e tuitar que atualizou o blog, ao mesmo tempo que manda perguntas no formspring.me. Provavelmente a nossa geração sera lembrada nas vindouras decádas como a geração percussora da informação imediata. Mas no fundo no fundo será que isso é tão bom? Antes nos comunicavámos atráves de cartas e telegramas; que por um lado era bom, pois antes de escrevermos pensávamos bem o que iriámos dizer ao outro. Hoje não! Pensamos e escrevemos ao mesmo tempo, no msn ou salas de bate papo. e as vezes pagamos um preço bem alto por não pensarmos bem aquilo que vamos escrever em tempo real, as vezes para o mundo inteiro ler. Nunca antes houve tanto burburinho em torno de uma geração. Como defini-la? Muitas nomeclaturas poderiam ser usadas para designar essa geração. Eu a chamo de Hig Defenition. É uma alta-definição em todas as áreas. A geração implácavel, sem "ruídos" ou "chuviscos" nada melhor do que batiza-la de GHD.

Adolescentes e jovens atolados de eletroeletrônicos nos ouvidos, mãos e bolsos. Atualizando tudo aos mesmo tempo, enquanto baixa o cd da sua banda favorita para turbinar o seu iPod.

HIGH DEFENITON É ISSO.




3 comentários:

S.S. Brunna disse...

Muito bom. Falou tudo.

:)

Daynara Aparecida disse...

Amoore!
Tem selinho pra ti lá no photograph!

Pega lá! Tá cheio de carinho.

Beijos revelados!

Luiz disse...

Suas palavras são tão eufêmicas e diretas para descrever uma geração que mais parece uma bomba auto-destrutiva. É o que eu digo a respeito dos adolescentes de hoje. Só vão querer saber o que querem da vida quando as roupas coloridas não forem mais vendidas nos números 36,38, quando os All-Stars tiverem muito grandes nos pés deles, quando as letras sobre amorezinhos imaturos não fizerem mais sentido na "cabeça" deles. É uma geração de alta definição que não tem nada definida!!!
Ótimo post. Passa lá no meu blog e dá uma lida (e comente) qualquer um tb. Abraços...